quinta-feira, 8 de abril de 2010

SOBRE MENINOS E LOBOS. A PEDOFILIA NOS ARRAIAIS CRISTÃOS.

Peço licença aos leitores deste blog para tratar de um assunto repugnante: a pedofilia. Esta anormalidade, infelizmente, é uma epidemia mundial. A cada dia somos afetados pelas notícias apavorantes de novos casos de abusos de crianças e adolescentes, na grande maioria, envolvendo pais ou pessoas muito próximas das vítimas.

A pedofilia não é apenas um crime hediondo. É uma monstruosidade. É uma agressão a tudo que se pode chamar de consciência moral. É uma violação não apenas da inocência infantil, mas também da própria natureza humana. Vai contra qualquer princípio ético, moral, social ou religioso; vai contra qualquer princípio de humanidade.

Infelizmente, em muitos casos, este crime ainda não tem recebido a devida punição que merece. Isto porque é comum haver casos de agressões que são acobertadas, seja por vergonha por parte das vítimas, medo, negligência ou outros subterfúgios. Assim, muitos pedófilos permanecem impunes, fazendo novas vítimas, escondendo-se atrás da impunidade ou se valendo do constrangimento alheio.

Como se não bastasse a tragédia que ocorre em muitos espaços sociais envolvendo o abuso de crianças e adolescentes no mundo todo, os arraiais cristãos também têm sido ambientes propícios para a ocorrência da pedofilia. Igrejas, antes tidas como ambientes de refúgio e esperança, têm se transformado em território do medo e da angústia, provocados por criminosos que se escondem atrás do manto da piedade para destruir a candura de meninos e meninas que lhes confiam a própria vida. Lobos vorazes, monstros abomináveis que, travestidos de pastores e padres, violam a ingenuidade de quem não pode se defender de seu apetite doentio.

Nos últimos tempos a Igreja Católica Romana tem sofrido forte pressão das autoridades e da mídia em diversos países para punir padres acusados de violentar crianças e adolescentes. O próprio Papa Bento XVI tem sido acusado de proteger um pedófilo quando ainda era Cardeal. O Vaticano tem desembolsado milhões em indenizações a vítimas de padres pedófilos no mundo todo. A pressão tem sido tão grande que há quem defenda a renúncia do atual papa por sua demora em tratar desse assunto tão sério.

No entanto, não é apenas nos arraiais católicos romanos que a pedofilia faz suas vítimas. Muitas igrejas evangélicas têm tido a infelicidade de acolher em seus círculos, ainda que sem saber, monstros capazes de abusar de meninas e meninos indefesos. Basta uma rápida pesquisa nos sites de busca e será possível ler inúmeras reportagens sobre pastores acusados de pedofilia por todo o mundo.

A presença de pedófilos nos arraiais cristãos é uma triste e vergonhosa realidade que agride o senso de pudor de qualquer um. É por demais constrangedor imaginar que no recôndito dos templos, sob o pálio do sagrado, ocorra esse tipo de brutalidade silenciosa, provocada por aqueles que levam sobre si a responsabilidade vocacional de proteger e pastorear. É revoltante acreditar que haja pessoas capazes de usar de sua condição de representantes de Deus para afrontar a ingenuidade de quem lhes vê como exemplo de respeito e honestidade.

A Bíblia condena todo tipo de pecado. Para Deus, todo pecado é igualmente imundo. A Bíblia ensina que todo pecado precisa ser punido; mas também ensina que para todo tipo de pecado há possibilidade de perdão. O único pecado para o qual a Bíblia diz não haver perdão é a blasfêmia contra o Espírito Santo. A pedofilia é um pecado hediondo como muitos outros, mas não é imperdoável para Deus. A graça de Deus é capaz de perdoá-lo. Mas é um crime que não deve ficar impune perante as leis humanas. Os cristãos não podem permitir que essa atrocidade seja encoberta por indenizações milionárias, meros afastamentos ou desvios de funções eclesiásticas, nem mesmo uma simples expulsão da comunidade. Nem ainda pode ser tida como resolvida com um simples pedido de desculpas ou uma mera absolvição eclesial. Pedófilos devem ser denunciados às autoridades, presos, julgados e condenados pelas leis do país. Cabe, portanto, a todos os segmentos cristãos estarem atentos e não permitirem que monstros desfilem pelas comunidades vestidos de pastores e padres, utilizando-se da sua posição para permanecerem impunes e continuarem destruindo inocentes.

5 comentários:

Kesley disse...

concerteza temos que ter essa atitude se caso ocorre isto perto de nós. É triste vermos estes acontecimentos aindas mais em ambientes cristãos, mas a Bíblia nos fala sobre os falsos que apareceriam. Que estejamos todos sempre fazendo a nossa parte para combater a pedofilia. grande abraço

Anônimo disse...

Essa semana a Igreja Católica esteve na mídia mais uma vez devido a pedofilia. A omissão da igreja com relação a um assunto tão sério é vergonhosa. A pedofilia precisa ser combatida e banida da sociedade. Não estou aqui mencionando os católicos gratuitamente, mas já que a mídia sempre fala tão mal de nós evangélicos e tão bem deles... fica aí minha observação. O SBT porém fêz uma série de reportagens sobre a pedofilia praticada por padres e bispos essa semana. Deu vergonha de ver este absurdo praticado dentro das igrejas.

Raquel Mariano disse...

Definitivamente um assunto que envegonha todos nós. Acredito que os pais devem ficar atentos e observarem com quem seus filhos estão andando e controlar a internet também. Criança não deve ficar sozinha no computador...

Danny.elle disse...

Oi Agnaldo,

Gostei muito do seu blog com assuntos impactantes que nos fazem refletir e pensar! Que Deus continue usando sua vida cada vez mais!

Graça e Paz

Arnaldo Ribeiro disse...

A D V E R T Ê N C I A A O S L O B O S T R A V E S T I D O S D E C O R D E I R O S !
(OS.4.6) – O meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento; porque tu sacerdote rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não seja sacerdote diante de mim, visto que esqueceste da lei do teu Deus, também eu esquecerei de teus filhos. (1SM.2.35) – Então suscitarei para mim um sacerdote fiel, que procederá segundo o que tenho no coração e na mente, edificar-lhe-ei um casa estável, e andará Ele diante do meu ungido para sempre. (ML.3.18) – Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não serve. (LC.17.30) – Assim será no dia em que o Filho do Homem se manifestar. (1CO.10.12) – Aquele, pois, que pensa estar em pé, veja que não caia; (EZ.18.32) – porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o Senhor Deus. Portanto, convertei e vivei.